Sustentabilidade financeira: como manter um bom nível na empresa?

6 minutos para ler

No livro “Canibais com Garfo e Faca”, o autor John Elkington já alertava os gestores sobre a importância dos fatores econômicos, sociais e ambientais nas empresas. A junção dos três se torna algo essencial para a sustentabilidade financeira.

De maneira geral, a sustentabilidade financeira parte da premissa de que devemos utilizar os recursos disponíveis de forma racional, a fim de evitar precipitações e promover o equilíbrio nas contas. Esse conceito pode apresentar benefícios como o aumento do lucro líquido, poder de barganha, ganhos de competitividade etc.

Neste artigo, você verá algumas dicas especiais que farão todo o sentido para que possa melhorar o fluxo de caixa sem sustos. Confira!

Faça um planejamento estratégico

Antes de colocar suas ideias de negócio em prática, a fim de fazer a empresa crescer de fato, saiba que é importantíssimo definir um planejamento estratégico e ter um pensamento a longo prazo. O imediatismo faz com que tome decisões equivocadas e, com isso, leve a empresa a ter certos prejuízos que poderiam muito bem ser evitados.

Para que o planejamento tenha um viés positivo, lembre-se sempre de manter as planilhas financeiras atualizadas com o volume de receitas e gastos, separando os custos fixos dos variáveis. Essa é uma forma eficaz de identificar os gargalos organizacionais e pontuar os devidos ajustes para que haja um equilíbrio nas contas.

Tome ações contra o consumo descontrolado

Partindo do princípio de sustentabilidade, obviamente que você não pode ignorar o consumo desenfreado de recursos essenciais para a produtividade e manutenção do negócio. Se as contas de água e luz estão exorbitantes, estabeleça diretrizes que firmem um compromisso entre os colaboradores para economizarem o que for possível no dia a dia.

O gerenciamento de resíduos e uma política de compras também são atitudes que respaldam a sustentabilidade financeira, afinal, quando há o uso eficiente de recursos, a tendência é que as finanças estejam positivas. Sempre que possível, avalie a eficiência dos insumos contratados com os fornecedores e faça um orçamento condizente com a realidade da empresa.

Previna o endividamento

Assim como acontece com qualquer pessoa física, o endividamento se torna um verdadeiro fantasma que amedronta os departamentos financeiros, porque sem dinheiro em caixa fica difícil cumprir os objetivos definidos no planejamento inicial. Para tanto, veja se os gastos efetivados nos últimos meses são realmente necessários, de modo que seja feito cortes em despesas irrelevantes.

Um bom exemplo de gastos que podem impactar significativamente nas contas é o das tarifas bancárias, pois, dependendo da instituição financeira em que a empresa tenha conta, as cobranças podem ser astronômicas por serviços simples. Além disso, tente não acumular dívidas e renegocie as que já existem, até mesmo para evitar situações de recuperação judicial e perda de credibilidade diante o mercado.

fomento mercantilPowered by Rock Convert

Cumpra as obrigações dentro dos prazos

Sabe aquele boleto que estava com prazo para o dia 20, mas você só lembrou de pagá-lo no fim do mês? Pois bem, a falta de responsabilidade com as obrigações da empresa pode resultar sérios problemas quanto à sustentabilidade financeira, isso porque os atrasos podem ocasionar multas e juros que se acumulam.

É fundamental que você cumpra as obrigações tributárias não somente para evitar mordidas do Leão do Imposto de Renda, mas também assegurar que o seu negócio esteja dentro da lei. Inclusive, por falar em legislação, preze pela segurança dos funcionários para não tomar processos trabalhistas, pois, se a causa for perdida, eles podem significar um verdadeiro rombo nas finanças.

Busque formas de controlar a inadimplência

Passar a mão na cabeça dos inadimplentes e fingir que nada está acontecendo é a pior forma de equilibrar as contas, tendo em vista que as dívidas dos seus clientes representam os valores utilizados para sanar as obrigações e gerar capital de giro. Ponha os pés no chão e entenda que nenhuma empresa saí do lugar sem ter a saúde financeira estável.

Sendo assim, o ideal é buscar alternativas rentáveis para suprir as demandas de compras com fornecedores, pagamento de salários, quitação de duplicatas e assim por diante. O fomento mercantil, por exemplo, é uma ótima maneira de controlar a inadimplência dos clientes, tendo em vista que a empresa estabelecerá um acordo comercial para ter os seus recebíveis antes do prazo dado na venda.

Tenha boas práticas de gestão de pessoas

Ledo engano se você pensa que, para ter a sustentabilidade financeira, é necessário pensar apenas nos números, pois uma boa gestão de pessoas também é imprescindível e pode representar muito no fim das contas. Prezando pela gestão da empresa e melhorias no clima organizacional, tratar os colaboradores de forma exemplar, da contratação à demissão, é algo crucial para a empresa não ter prejuízos.

A fórmula é muito simples e eficiente, sendo que o respeito e compromisso com as obrigações trabalhistas são importantes para diminuir a rotatividade de funcionários, manter a produtividade em dia, evitar processos etc. Para tanto, cabe às lideranças nos setores aplicarem a cultura do feedback e terem controle sobre as situações que possam surgir, a fim de minimizar conflitos.

Disponha de uma reserva de emergência

Por mais que existam métricas e ferramentas que nos ajudam a analisar a curva de demanda e supor o volume de vendas, sabemos bem que nem tudo é possível prever e que é fundamental ter um plano B. Entenda que não é só as ações do microambiente que influenciam nas suas finanças, mas a movimentação do macroambiente também.

Imaginando que entre em vigor uma lei que mexa drasticamente com a sua produtividade, por exemplo, obviamente que você precisa de uma reserva de emergência para cobrir os gastos a mais que terá para se adequar às novas normas. Para isso, pense sempre em bons investimentos que retornem rendimentos aceitáveis e, gradativamente, sirva para suprir despesas que surgem como surpresa.

Portanto, avalie bem as informações, converse com os colaboradores e mantenha o controle das finanças em dia, pois só assim será possível contornar qualquer situação e ter uma sustentabilidade financeira de fato.

Quer aproveitar que está aqui e ler sobre outro assunto? Então veja agora como a antecipação de recebíveis por factoring aumenta o capital de giro!

Posts relacionados

Deixe um comentário